Turismo em Maratá e Brochier

15 de Agosto de 2009 - RS

 

O Rio Grande do Sul realmente é um estado abençoado

 

 

 

 

Pensar que podemos curtir essas belas maravilhas

da Natureza a apenas 140Km de casa

 

 

http://www.maratars.com.br/

 Maratá é um termo indígena que significa lugar onde os elementos água e solo, entram em choque, num eterno combate em homenagem à natureza.Sua colonização inicia em 1857, quando imigrantes alemães desembarcados em São Leopoldo, se instalam nas margens do Arroio Maratá, motivados pela beleza do lugar e pela fertilidade do solo.

 

 

 

 

No ano de 1832, chegavam de Marselha, na França, os Irmãos João Honoré Brochier e Augusto Brochier, que

pretendiam estabelecer-se em São João de Montenegro. Como as pretendidas terras haviam sido vendidas a

terceiros, desbravaram a mata e adentraram 25 km além da atual cidade de Montenegro, estabelecendo-se às

margens de um arroio, cuja nascente se situa na localidade de Morro Paris e desaguando no Arroio Maratá.

 

 

 


Em 05 de maio de 1873, foi criado o Distrito de Brochier, ou São João dos Brochier

sendo considerado o segundo distrito de Montenegro.

 

 

 


A partir de 1987, Brochier e Maratá, dois distritos de Montenegro, situados

próximos um do outro, iniciaram seu processo emancipacionista.

 

 

 


Em 20 de dezembro de 1987, realizaram seu plebiscito quando 2.980 dos seus 3.291 eleitores

se manifestaram favoráveis a emancipação, concretizada pela lei n. 8.556 de 11/04/1988,

criando-se então o município de Brochier do Maratá.

 

 


Com a emancipação política de Maratá, ocorrida em 20/03/1992, desfizeram-se os elos de união das duas

localidades e a expressão Maratá foi suprimida, passando o município a chamar-se somente BROCHIER.

 

 

 

 

Sobre a viagem

 

Saímos de Guaíba por volta das 10hs da manhã.

 

O dia estava convidativo com sol e temperatura amena.

Nos reunimos no posto do Ivan, nosso ponto tradicional de agrupamento de saída para viagens.

 

 

 

Percorremos os quase 140KM entre Guaíba e Maratá em menos de duas horas.

 

Primeiramente visitamos as duas cachoeiras do lugar, depois fomos almoçar, por volta das 13:30.

 

Encontramos um restaurante com comida boa e barata.

 

No retorno, passamos em outro parque, mas neste não tinha nada muito atrativo.

 

 

 

 

Tanto na ida como na volta, colocamos a Twister puxando a fila, tendo em vista a menor cilindrada desta.

 

Mantivemos uma boa velocidade de viagem, por volta dos 110Km/h.

Voltamos por Triunfo, passando pela Balsa.

 

Na saída da bolsa o Paulinho Curva parou a Twister na frente de um bar para esperar baixar a poeira dos carros.

Nisso uma tia já com quilometragem bem alta e movida visivelmente por álcool, pegou no pé do cara.

 

Dizia que ele quase tinha atropelado as crianças e que ali não era lugar para parar...

A mulher parecia uma metralhadora.

 

 

Nem perdemos tempo em discutir...ficamos rindo da situação inusitada.

 

Apenas para enfatizar: "A tia estava completamente bêbada...o que ela alegou era fruto do SANGUE NO ÁLCOOL"...

 

No retorno, Paulinho Curva que vinha puxando a fila, não viu o pessoal parar e se tocou na frente.

 

 

Parou na saída da RS 244 aguardando o pessoal ... queria bater umas fotos ... porém depois de 10min e nada do pessoal

aparecer, se preocupou e foi atrás...rodando uns 10min encontrou o esquadrão que vinha voltando para casa.

 

 

Só paramos no nosso ponto de desagrupamento na Beira em Guaíba, Lancheria da Tia Nadir.

Lá ficamos um pouco mais conversando e nos refrescando com bebidinha gelada.

 

 

 

 

 

Pilotos do Liberdade Vigiada se preparando para o retorno para casa

Valeu a pena mais essa viagem

 

 

Integrantes do Liberdade Vigiada que participaram da viagem:

01 - Paulinho Curva - Twister 250

02 - Paulo Rocki e Dani - Bandit 600S

03 - Luciano - Bandit 1250S

04 - Jorginho - Harley Davidson 1500

06 - Roberto - Vstrom 1000

 

 

 

Total percorrido: 280Km